Os nomes da cidade

O povoado que formou o núcleo inicial de Novo Hamburgo era conhecido desde a sua fundação como Hamburger-Berg, o que significa Morro dos Hamburguenses. Acreditava-se que era uma corruptela de Hampetersberg – Morro do Hampeter, ou João Pedro Schimitt, um dos primeiros comerciantes do local. Contudo, a origem remonta a outro comerciante, chamado Luiz Kersting, natural de Hamburgo. Ele costumava despedir-se de seus clientes com a seguinte frase: “Não se esqueçam de voltar à casa do velho hamburguês”.

 

Em 1919, Hamburger-Berg ganhou outras denominações. Gabriel de Azambuja Fortuna, intendente municipal de São Leopoldo, pelo ato n° 75 de 23 de fevereiro daquele ano, resolveu “mudar o nome da sede e do 2º distrito de São Leopoldo, Novo Hamburgo e Hamburger-Berg, que passarão a denominar-se Borges de Medeiros”. Mais tarde, com o ato n° 82, de 11 de junho, resolveu: “o povoado de nome Hamburger-Berg denominar-se-á Coronel Genuíno Sampaio”.

 

Borges de Medeiros não aceitou a homenagem, e os moradores também não gostaram da ideia. Ainda em 1919, o sucessor de Fortuna, Mansueto Bernardi, revogou os atos nº 75 e nº 82, restabelecendo o nome de Novo Hamburgo e transformando Hamburger-Berg em Hamburgo Velho.

 

Houve ainda outra tentativa de mudança. Em 1942, durante a administração de Odon Cavalcanti Carneiro Monteiro, que, durante os Festejos da Semana da Pátria, chamou Novo Hamburgo de Floriano. A tentativa, porém, não encontrou respaldo nem no governo federal.

 

Fonte: O Município de Novo Hamburgo – Monografia, de Leopoldo Petry.